21.4 C
Bruxelas
17 Agosto 2022

Voto contra confiança

Clique para ampliar António José Seguro garante que não tem um compromisso com Belém e que só dialogou.

Os socialistas já esperavam que o Presidente da República não convocasse eleições antecipadas. Ontem, o líder do PS, António José Seguro, explicou ainda na SIC Notícias que a credibilidade do Executivo “está nos mínimos, nas ruas da amargura”, e que o partido vai votar contra a moção de confiança apresentada pela maioria, que serve apenas para tentar restaurar a credibilidade do Governo.

Segundo António José Seguro, a credibilidade não se recupera dessa forma. Para memória futura, Seguro garantiu que não tem “um compromisso” com Cavaco Silva para o futuro, nem teve no passado. E recusou a ideia de ter entrado em negociações com o PSD e o CDS, preferindo a expressão “processo de diálogo”.

Horas antes, o dirigente do PS Alberto Martins explicou que o partido respeita a decisão do Chefe do Estado, mas discorda, porque defende eleições antecipadas.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/atualidade/voto-contra-confianca

[ “País precisa da união de todos” ]

Artigos relacionados

Últimos artigos