30.8 C
Bruxelas
13 Agosto 2022

Volt Portugal quer “digitalizar e dinamizar” o ensino do Português para “incluir e atrair”

O Volt Portugal defende as aulas virtuais de “altíssima qualidade” para a diáspora portuguesa, garantindo assim o acesso universal a qualquer português e aos seus filhos, onde quer que se encontrem.

Este jovem partido quer que as instituições educativas, que irão preparar as aulas de Português, tenham capacidade para dar aulas de elevada interatividade e colaboração para lusodescendentes, naturalizados (sefarditas entre outros), mas também para imigrantes a viver em Portugal que precisam do português para a sua plena integração no país.

Em comunicado, o Volt Portugal defende que o ensino do português no estrangeiro deve também estar aberto para qualquer outra pessoa não portuguesa que procure esta aprendizagem como forma de reforçar um vínculo com o país.

Pedagogia Dinâmica
Já nenhum aluno de línguas aguenta uma sessão online em que o professor faz apresentações, coloca os alunos em “mute” e no final dá espaço para perguntas e respostas.

O desenvolvimento de software e conteúdo para aulas virtuais (baseadas na web) não significa que a qualidade da facilitação virtual de aulas interativas esteja garantida. Os professores virtuais precisam de possuir ou desenvolver as
seguintes competências, pois são eles os verdadeiros mestres na facilitação de uma “aula” virtual:
a) Dominar a tecnologia de uma sessão virtual;

b) Envolver os alunos sem o benefício do contacto presencial.

É este o ponto que o Volt considera essencial na abordagem formativa da Língua Portuguesa – Formar professores para facilitar uma aula a fim de envolver os alunos (as) na sua formação virtual através de atividades interativas
e colaborativas.

Artigos relacionados

Últimos artigos