18.8 C
Bruxelas
19 Agosto 2022

Troika e governo português querem poupar cerca de 8,8 mil milhões

Clique para ampliar A \ roika\ e o Governo irão impor mais medidas de austeridade entre 2012 e 2013 que permitirão poupar 5,1 por cento do PIB, ou seja, cerca de 8,8 mil milhões de euros.


Segundo o memorando de entendimento a que a Lusa teve acesso, dentro das novas medidas de austeridade para este período temporal, o maior esforço de consolidação será feito pelo lado da despesa, já que \”3,4 por cento serão pelo lado da despesa e 1,7 por cento pelo lado das receitas\”.

O entendimento diz que foi dada prioridade às medidas pelo lado da despesa por estar \”em linha com a necessidade de reduzir os gastos públicos\”, sendo que o \”ajustamento fiscal será suportado por reformas estruturais específicas\”.

Para este ano, o memorando refere que as medidas já implementadas farão uma poupança de 5,25 por cento do PIB, cerca de 9 mil milhões de euros.

\”O Orçamento para 2011 já contém um esforço significativo\”, diz o documento, acrescentando que o défice previsto (de 5,9 por cento) \”tem em conta a recessão agora prevista\” bem como a reclassificação de alguma despesa do setor empresarial do Estado que está agora no perímetro de consolidação do Estado central.

Para atingir a meta de 5,9 por cento do PIB, o Governo e a \ roika\ comprometem-se a reduzir a despesa em 2011 em cerca de 0,25 por cento do PIB, \”particularmente em subsídios aos setores empresarial do Estado e Saúde\”.

Na terça-feira, o primeiro-ministro José Sócrates afirmou na sua comunicação ao país que Portugal conseguiu um \”bom acordo\”, sendo que fonte oficial disse à Lusa que o empréstimo da \ roika\ será de 78 mil milhões de euros durante três anos, incluindo a recapitalização da banca, caso seja necessária.

Os representantes da \ roika\ vão reunir-se esta quarta-feira com o PSD e o CDS-PP.

Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos