19 C
Bruxelas
8 Agosto 2022

Transportes quase parados durante greve geral

Clique para ampliar Os passageiros dos transportes públicos começam esta terça-feira a sentir os efeitos da greve geral de quarta-feira, que deverá ter “uma adesão praticamente total”, de acordo com a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

“Estamos a antever uma paralisação praticamente total no sector dos transportes públicos e também uma forte adesão nas empresas do sector privado”, disse hoje à Lusa o coordenador da Fectrans, José Manuel Oliveira.
Em declarações à Lusa, o dirigente sindical defendeu que “na greve geral de quarta-feira, haverá uma adesão superior à habitual do sector privado”, uma vez que “começa a sentir o efeito das medidas de austeridade, nomeadamente a redução do pagamento do trabalho extraordinário”.

“Pensamos que quarta-feira vai ser um dia muito complicado”, declarou, referindo-se ao dia da greve geral, convocada pela CGTP contra as medidas de austeridade, previstas no Orçamento do Estado para 2013 (OE2013), em defesa de medidas de crescimento económico.

A UGT decidiu não aderir à paralisação por considerar que era movida por razões político-partidárias, mas as estruturas sindicais da UGT emitiram pré-avisos de greve para quarta-feira em protesto contra as consequências do OE2013 e também no âmbito de uma jornada de luta convocada pela Confederação Europeia de Sindicatos para a mesma data.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/transportes-quase-parados-durante-greve-geral

Artigos relacionados

Últimos artigos