2.1 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Taxa de desemprego continua nos 15%

Clique para ampliar A taxa de desemprego em Portugal permaneceu nos 15,2 por cento em maio, valor idêntico ao de abril, subindo uma décima tanto na zona euro (11,1 por cento), como na União Europeia (10,3), revelou hoje o Eurostat.

Os dados mais recentes do gabinete oficial de estatísticas da UE revelam que Portugal continua a ter das mais elevadas taxas de desemprego da Europa, apenas superada por Espanha (24,6) e Grécia (21,9, valor referente a março) – registando-se ainda uma taxa na Letónia de 15,3, mas também relativa a março -, sendo, no entanto, a primeira vez que nos últimos oito meses o desemprego não regista uma subida em Portugal, mantendo-se estável.

Comparativamente a um ano antes, a taxa de desemprego em Portugal subiu 2,5 pontos percentuais, de 12,7 por cento em maio de 2011 para 15,2 em maio passado.

Já a taxa de desemprego entre os jovens com menos de 25 anos conheceu um ligeiro recuo em Portugal em maio, face ao mês anterior, de 36,5 para 36,4 por cento, permanecendo, no entanto, das mais elevadas da União, e sete pontos percentuais acima do valor registado um ano antes (29,4 por cento).

Em termos gerais, a taxa de desemprego subiu uma décima na zona euro, de 11 para 11,1 por cento, o mesmo sucedendo no conjunto dos 27 Estados-membros (para os 10,3 por cento), o que significa que atualmente existem 24,8 milhões de desempregados na União Europeia, 17,5 milhões dos quais na zona euro.

Comparando com os dados de há um ano, de maio de 2011, há mais 1,9 milhões de desempregados na UE e mais 1,8 milhões na zona euro.

O Eurostat calcula mensalmente uma taxa harmonizada de desemprego para todos os países da UE. Esta taxa utiliza uma metodologia comum a todos os 27 para permitir comparações. Os resultados do Eurostat não são necessariamente iguais aos obtidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos