6.8 C
Bruxelas
29 Novembro 2022

Sondagem legislativas: PS à frente do PSD e CDS a subir

Clique para ampliar O PS retirou pela primeira vez a liderança ao PSD na terceira sondagem da Intercampus para o PÚBLICO e TVI. E passou os “laranjas” de uma forma clara: os socialistas somam agora 36,8%, contra 33,9% dos sociais-democratas. Quem também dispara é o CDS-PP, que conta agora com 13,4% das preferências. PSD e PSD continuam porém em empate técnico, revela o jornal Público.


O PS tem vindo a subir ligeiramente desde a primeira sondagem (34,8%, a 6 de Maio, 35,1%, a 9 de Maio e 36,8% agora) e o PSD tem descido. Só que nesta terceira recolha de opinião o plano é mais inclinado para os sociais-democratas: passaram de 37% na primeira sondagem para 36,2 na segunda e agora cairam para 33,9%.

Na primeira vez em que passam para a frente nesta série de sondagens da Intercampus para o PÚBLICO e TVI, os socialistas conseguem mesmo a maior diferença entre PS e PSD. Na primeira sondagem os sociais-democratas tinham uma vantagem de 2,2%, na segunda baixaram para 1,1% e o PS consegue agora uma vantagem de 2,9%.

Quem parece estar a “lucrar” com a perda dos sociais-democratas é o CDS-PP que sobe mais de 2% em relação às anteriores recolhas de opinião (10,5%, 10,9% e 13,4 % esta segunda feira).

Graças à subida do CDS-PP, os centristas e os sociais-democratas juntos mantêm-se dentro do campo das possibilidades de terem uma maioria parlamentar, com 47,3% dos votos. Mas os votos do PS e CDS juntos garantem agora sem dúvidas uma maioria parlamentar, atingindo os 50,2%. CDS e PS juntos têm os mesmos votos que o somatório dos partidos de esquerda, que atingem igualmente os 50,2%.

A CDU (PCP e Os Verdes) sofre mais uma ligeira queda (7,9%, 7,7% e 7,4% agora). Bastante mais acentuada continua a ser a descida do BE. Começou com 7%, caiu para 6,5% e agora para 6%.

Quem também perde são os outros partidos que na sondagem de sexta-feira atingiram 3,6% das preferências e agora passam para 2,4%.

Esta repartição dos votos leva em conta apenas os entrevistados que manifestaram a intenção de votar num dos partidos indicados.

Elevado continua a ser o número dos optam pelo itens de não sabe/não responde e nenhum [partido]/não votaria, embora tenha uma ligeira queda: era de 45,3% e passou para 43,6%.

A cair continua o número de portugueses que acha que o futuro Governo deve ser formado por uma coligação de partidos: começou em 56,9%, passou para 55,9% e situa-se agora nos 53,4%. Já os que acham que deve ser o partido vencedor a governar subiu: começou em 29%, caiu para 28,8% e agora subiu para 32,6%.

Em matéria de coligações, subiu o número dos que, defendendo uniões governativas, gostariam de ter um “casamento” entre PSD e CDS, passando de 23,2% na passada segunda-feira para 28,1% agora. Uma coligação PSD-PS-CDS reúne 15,5% das preferências (20,5% na sondagem anterior); PSD-PS soma 17,9% (21,2% na anterior); PS-PCP-BE tem 13,5% (11,6% na anterior) e PS-CDS 6,9% (6,3% na anterior).

Uma subida significativa nesta sondagem da Intercampus para o jornal Público e a TVI teve a opinião dos que acham que o futuro Executivo vai Governar melhor: começou com 35,1%, baixou para os 34,7% e a agora pulou para os 38,9%. Os que acham que a governação vai ser igual são agora 37,2% (eram 40,9% na anterior sondagem). Os que acham que vai governar pior são 8,9%, quando na passada segunda-feira eram 9%.

Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos