16.9 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

Sindicato dos Professores nas Comunidades Lusíadas denuncia sobrecarga dos professores do EPE

Clique para ampliar Camões, Instituto da Cooperação e da Língua continua a sobrecarregar os professores de Ensino de Português no Estrangeiro (EPE). É esta a denúncia do Sindicato dos Professores nas Comunidades Lusíadas (SPCL), que alega que os docentes estão a desempenhar “tarefas que deveriam ser desempenhadas por pessoal auxiliar”.

De acordo com o SPCL, a 16 de Setembro, uma professora do EPE, da área consular de Estugarda, abandonou o Consulado carregada com cerca de 100 kg de manuais escolares para distribuir pelos seus 130 alunos. “Não se trata de um caso único, pois na Suíça está a acontecer o mesmo com os docentes a serem informados de que se devem dirigir aos consulados das suas áreas para seleccionar e levantar os livros para os seus alunos”, lê-se no comunicado.

A estrutura sindical refere que muitos docentes residem “a centenas de quilómetros dos Consulados e encontram-se já a lecionar, constituindo o processo em causa uma sobrecarga inaceitável”. “Estamos perante mais uma consequência perversa da já conhecida “propina”, que dá direito aos alunos cujos pais pagaram a mesma a receber o manual escolar gratuitamente. Tanto o Camões I.P como a Editora Lidel, que tem o exclusivo da entrega dos referidos manuais, ignoraram totalmente as condições de trabalho dos professores”, acrescenta a secretária-geral do SPCL, Maria Teresa Nóbrega Soares.

NCF

Artigos relacionados

Últimos artigos