30.2 C
Bruxelas
11 Agosto 2022

Rendimentos familiares vão sofrer queda sem precendentes

Clique para ampliar A recessão prolongada que a economia portuguesa sofrerá nos próximos anos em consequência do acordo com a ‘troika’ será acompanhada de uma queda sem precedentes no rendimento disponível das famílias, alerta o Banco de Portugal.


De acordo com o relatório anual de 2010, divulgado esta quinta-feira pela instituição liderada por Carlos Costa, a acompanhar a recessão que a economia deverá sofrer nos próximos anos, acontecerá ainda “uma contração sem precedentes do rendimento disponível real das famílias”, a que se juntam novos aumentos da taxa de desemprego.

“O quadro macroeconómico que se antevê para o futuro próximo é particularmente severo. O programa de ajustamento económico e financeiro contempla uma nova recessão em 2011, de magnitude elevada, que persistirá em 2012”, diz o regulador.

A instituição defende no entanto que os remédios prescritos pela ‘troika’ “deverão criar as bases para um crescimento económico sustentável no médio prazo”.

Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos