17.9 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

Quatro mil sem terapia de cancro

Clique para ampliar Entre três mil e quatro mil doentes de cancro por ano não fazem tratamento de radioterapia devido à insuficiência deste tipo de equipamentos no País, segundo especialistas ouvidos pelo CM. Na União Humanitária dos Doentes com Cancro, são recebidos diariamente reclamações e protestos de doentes, que se queixam de esperar semanas ou meses por uma consulta de oncologia ou tratamentos.
A denúncia da insuficiência de equipamentos de radioterapia em Portugal surgiu ontem num estudo publicado na prestigiada revista científica ‘Lancet Oncology.

Segundo a investigação, o nosso país tem uma taxa de 4,6 aparelhos de radioterapia por milhão de habitantes, um número abaixo da média europeia, que é de 5,3. Isto significa que 19 por cento dos tratamentos oncológicos não são realizados.

O problema é do conhecimento de especialistas portugueses. O coordenador da unidade de Radioterapia do Hospital Cuf Descobertas, Rui Rodrigues, afirmou ao CM que, “segundo o número de equipamentos e de doentes, chega-se à estimativa de que entre três mil e quatro mil doentes não terão acesso a radioterapia”.

A sobrecarga dos equipamentos, aceleradores lineares, pode originar avarias, deixando os doentes em listas de espera, quando não são referenciados para outras unidades de saúde.

Como os recursos não são suficientes, alguns doentes terminais são tratados com morfina para o alívio das dores, em vez de fazerem sessões de radioterapia.

A psicóloga Cláudia Costa, da União Humanitária dos Doentes com Cancro, recebe inúmeras chamadas de doentes a perguntar “se é normal” esperar semanas por uma consulta ou tratamento”. “Houve doentes que esperaram meses pela reparação da avaria de um equipamento. Além do diagnóstico têm de lidar com a dificuldade no tratamento”, afirmou a psicóloga.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/quatro-mil-sem-terapia-de-cancro

Artigos relacionados

Últimos artigos