9.9 C
Bruxelas
28 Novembro 2022

Primeiro-ministro não prevê mais austeridade

Clique para ampliar O primeiro-ministro reafirmou, em entrevista à TVI, que não encara, nesta altura, mais medidas de austeridade, frisando que o Orçamento Retificativo que, na quarta-feira, vai a Conselho de Ministros não as contempla. Admitiu que a economia ainda vá contrair mais até ao final do ano, mas manteve a previsão de uma contração de 3,3%.

“Nenhum primeiro-ministro responsável poderá jurar que não vai tomar mais medidas de austeridade”, disse Passos Coelho, logo depois de ter afirmando que, nesta altura, o Governo não as encara. “Mas há riscos, a situação de emergência nacional não está ultrapassada e não podemos baixar os braços nem um segundo”, avisou.

Quanto à previsão de uma contração da economia de 3,3% este ano, Passos manteve-a. Os sinais de recuperação, disse, serão já visíveis no no último trimestre deste anos; em 2013 assistir-se-á a uma ligeira retoma da economia, que ser”á mais pronunciada em 2014.

Passos assegurou, ainda, que é “indispensável” cumprir o défice orçamental de 4,5% previsto para este ano e reafirmou que o Governo não pedirá nem mais tempo nem mais dinheiro à troika.Recordou, no entanto, que tanto o FMI como a União Europeia já deixaram claro que estarão disponíveis para prolongar o financiamento se Portugal e a Irlanda, por razões externas, não conseguirem regressar aos mercados.

O primeiro-ministro afirmou, também, que o Governo vai cortar nas rendas excessivas ao sector da energia, por forma a que os consumidores sejam menos penalizados.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos