30.2 C
Bruxelas
11 Agosto 2022

Presidente do BES favorável a privatização parcial da CGD

Clique para ampliar O presidente do BES, Ricardo Salgado, mostrou-se hoje favorável a uma privatização parcial da Caixa Geral de Depósitos (CGD), desde que o banco continue a ser controlado pelo Estado.

“Disse várias vezes que era contra a privatização da CGD. Atendendo à situação difícil do nosso país, parece que a privatização não seria um problema”, afirmou hoje Ricardo Salgado à margem de uma conferência realizada pela revista Exame, num hotel, em Lisboa.

Apesar de aceitar a privatização da CGD, o banqueiro afirmou que esta instituição deve “continuar a ser controlada pelo Estado atendendo à missão que tem para desempenhar na área bancária e financeira”.

Questionado sobre se os próximos tempos seriam o melhor momento para uma privatização do banco público, Salgado reiterou que “o Estado tem de privatizar, não tenhamos dúvidas, vamos ver qual será melhor altura”.

A semana passada, no debate quinzenal, na Assembleia da República, o secretário-geral do PS, António José Seguro, perguntou ao primeiro-ministro sobre se o Governo está a equacionar privatizar o banco público.

“No dia em que o Governo tiver de anunciar alguma coisa relevante no que toca à CGD fá-lo-á seguramente e não o fará de forma escondida. Até hoje não é conhecido que o Governo tenha tomado alguma posição no sentido de alterar as condições que hoje existem relativamente à CGD”, disse Passos Coelho.

A última edição do semanário Expresso noticiava que o Governo discutiu com a roika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) vender 20 por cento da CGD a investidores institucionais e 20 por cento ao público em geral, através da entrada em bolsa.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos