16.9 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

Portuguesa criou dispositivo de deteção de cancro

Clique para ampliar A investigadora do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) Goreti Sales ganhou uma bolsa no valor de um milhão de euros para desenvolver a criação de dispositivos autónomos e portáteis para o diagnóstico precoce do cancro.

Em comunicado enviado à Lusa, o ISEP refere que o projeto de investigação, denominado 3P¿s, «tem por objetivo o desenvolvimento de um dispositivo que visa identificar e antecipar a instalação de cancro».

«O aparecimento de uma patologia como o cancro está associado à presença de algumas biomoléculas (biomarcadores) que circulam no organismo em baixas quantidades. A existência de um biossensor (dispositivo) capaz de detetar esses biomarcadores, de modo rápido, rigoroso e não invasivo, será extremamente importante para a dinamização do diagnóstico precoce da doença», explica a investigadora.

Goreti Sales ganhou uma bolsa no valor de um milhão de euros O ISEP acrescenta esperar que «o 3Ps facilite o acesso da comunidade em geral à monitorização destes sinais de alerta, a tempo de evitar a instalação da doença ou de minimizar as suas consequências».

A concretização prática deste estudo contará com a colaboração do Instituto Português de Oncologia do Porto.

O projeto português, selecionado entre mais de quatro mil em todo o mundo, pretende assim «criar mecanismos de deteção precoce de três tipos de cancro [mama, colo do útero e colorretal], capazes de produzir uma resposta, de forma rápida e a baixo custo, para várias biomoléculas em simultâneo».

Goreti Sales, coordenadora do Biomark ¿ Sensor Research, unidade de investigação do ISEP, refere ainda que o projeto terá a duração de cinco anos.

A bolsa foi atribuída pelo Conselho Europeu para a Investigação, que tem por objetivo promover a excelência científica na Europa, através de concursos de financiamento dirigidos a investigadores.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos