31.6 C
Bruxelas
13 Agosto 2022

Portugal perde organização da Ryder Cup para a França

Clique para ampliar A Comissão Executiva da candidatura portuguesa à Ryder Cup felicitou a França, país escolhido para receber a prestigiada prova de golfe em 2018, numa decisão anunciada esta terça-feira em Surrey, Inglaterra.


“A proposta portuguesa era muito boa, mas o contexto financeiro, económico e político que vivemos é complicado, o que certamente deverá ter estado na base da decisão da Ryder Cup Europe”, afirmou Miguel Franco de Sousa, secretário-geral da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), que promete estar “atento a futuras oportunidades”, tendo em conta a “qualidade do projeto” apresentado por Portugal.

Este tinha como pontos fortes o percurso de 18 buracos concebido de raiz e à medida pelo arquiteto norte-americano Tom Fazio, em parceria com a European Golf Design, e visava posicionar Portugal no roteiro dos melhores destinos turísticos do Mundo, gerando receitas e criando riqueza, e impulsionar a adesão de mais jovens a este desporto.

De acordo com as conclusões de um estudo realizado pela consultora internacional Deloitte e apresentado em Lisboa em dezembro de 2010, a organização da Ryder Cup em 2018 representava um impacto económico aproximado de 550 milhões de euros, um montante três vezes superior ao do Euro2004 em futebol.

A Ryder Cup é o terceiro evento desportivo mais importante e mediático do Mundo, depois dos Jogos Olímpicos e do campeonato Mundial de futebol, realiza-se de dois em dois anos e coloca frente a frente as seleções da Europa e dos Estados Unidos na conquista do título de melhor equipa de golfe do mundo.

Na corrida para a organização da Ryder Cup, além da candidatura vencedora, a França, estavam as de Portugal, Espanha, Alemanha e Holanda.

Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos