1.8 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Portugal no topo dos mortos em acidentes com tratores

Clique para ampliar Portugal é o segundo país da Europa com mais mortos e feridos graves em acidentes com tratores agrícolas – 31 mortos em 2008 – só superado pela Grécia que registou 44 mortos no mesmo ano.


Para combater este problema, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) lançou esta segunda-feira uma campanha nacional de prevenção da sinistralidade rodoviária com tratores agrícolas. A cerimónia decorreu em Santarém, o distrito do país que, entre 2000 e 2009, registou a maior percentagem de mortos (10,4 por cento) e de feridos graves (21,2 por cento).

De acordo com o secretário de Estado da Proteção Civil, Vasco Franco, o objetivo da campanha é o de esclarecer os condutores destes veículos para as normas de segurança e “tentar fazer com que a redução do número destes acidentes se aproxime da redução verificada na restante sinistralidade rodoviária”.

Neste últimos dez anos (2000-2010), morreram 380 pessoas vítimas destes acidentes, a maioria (71 por cento) devido ao capotamento do veículo, segundo dados fornecidos pela ANSR. Outro dado relevante é que, nos casos de capotamento dos tratores, o número de vítimas mortais supera o número de feridos graves, ao contrário do que acontece nos outros acidentes rodoviários.

Segundo a ANSR, as principais causas destes acidentes são o cansaço, excesso de horas de trabalho, o consumo de álcool pelos condutores, a antiguidade da frota dos veículos agrícolas (a maioria tem mais de 10 anos de idade) e ainda a falta de utilização de equipamentos de proteção anti-capotamento, como é o caso da estrutura metálica em forma arco (conhecida como arco de Sto. António), já de uso obrigatório para os veículos homologados desde 1992/93.

Bomdia.be

Artigos relacionados

Últimos artigos