3.8 C
Bruxelas
8 Dezembro 2022

Politécnico de Coimbra integra projeto europeu para criação de selo verde para escolas

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) está a participar num projeto europeu de criação de um selo verde, implementando um quadro comum para avaliar e atualizar práticas verdes e sustentáveis nas instituições de ensino, foi hoje anunciado.

O IPC em consórcio com oito parceiros da União Europeia (de Espanha, Bélgica, Bulgária, Polónia, Itália, Islândia e França) viu aprovada, uma parceria de cooperação universitária para a promoção da transição verde e de práticas sustentáveis, na área da educação e formação.

O projeto U-GREEN, com financiamento de cerca de 380 mil euros, tem como objetivo “promover as competências verdes entre uma nova geração de cidadãos europeus”, refere o IPC numa nota de imprensa enviada a agência Lusa.

O trabalho com duração de dois anos e meio, baseia-se na ideia de que as instituições de “educação e formação podem ser os principais catalisadores da mudança de mentalidades e comportamentos necessários à transição para uma economia circular, digital e neutra em termos climáticos”, explica o comunicado.

A ideia é exigir também a professores qualificados e pessoal não docente que “cooperem para incorporar práticas verdes sustentáveis nas atividades de ensino”.

A abordagem e o quadro normativo a desenvolver estrutura-se na área de infraestruturas e recursos, gestão administrativa, ensino e aprendizagem e envolvimento e consciencialização da comunidade.

“As atividades previstas contemplam a preparação das diretrizes U-GREEN que incluirão recomendações para a incorporação de práticas verdes e de sustentabilidade e apresentarão pistas e orientações para a criação de um roteiro para a neutralidade carbónica das instituições”, sustenta o IPC na mesma nota.

Está ainda prevista a criação de um programa de formação ‘online’ para capacitar e certificar os profissionais como peritos, entre outras atividades previstas.

No IPC, o projeto será desenvolvido pela equipa do serviço de saúde ocupacional e ambiental, com coordenação da vice-presidente Ana Ferreira, em articulação com a pró-presidente Maria João Cardoso.

Trata-se, na perspetiva da pró-presidente Maria João Cardoso, de um projeto “muito importante” para o IPC, nomeadamente pelo seu “valor intrínseco, pela temática e resultados que serão produzidos”.

O Politécnico de Coimbra “quer afirmar-se cada vez mais como uma instituição de referência ao nível da sustentabilidade ambiental e que, por isso, a adesão a este consórcio fazia todo o sentido dado o objetivo do projeto”, refere, citada na mesma nota a vice-presidente Ana Ferreira.

Este projeto será “uma mais-valia” para a disseminação de conhecimentos pela sociedade, pois as instituições de ensino superior são “espaços privilegiados para a transmissão destes valores, tendo em consideração que se constituem como ambientes capazes de fomentar a execução de ações com abordagens mais sustentáveis, visando uma formação não apenas sistémica, mas integral e humanizadora”, conclui.

Artigos relacionados

Últimos artigos