6.5 C
Bruxelas
6 Dezembro 2022

Pingo Doce foi vítima do seu próprio sucesso

Clique para ampliar O Pingo Doce decidiu antecipar para as 18:00 o encerramento de todas as lojas da marca no dia 1 de maio, para poder escoar em segurança os muitos clientes que procuraram beneficiar de uma campanha de descontos.

“Vamos fechar as lojas às 18:00 e não às 20:00, como é normal, para podermos escoar em segurança os clientes, que são muitos, para até à hora de fecho da loja as pessoas poderem fazer os seus pagamentos e poderem sair”, disse à Lusa fonte oficial da empresa.

A mesma fonte salientou que o encerramento se estende à Madeira.

Para festejar o dia do Trabalhador, o Pingo Doce lançou uma campanha de vendas, com desconto de 50 por cento para clientes que adquiram mais de 100 euros de compras.

O Pingo Doce admite ter registado uma enorme afluência de clientes em todo o país e que algumas lojas encerraram pontualmente para repor produtos nas prateleiras ou para garantir a segurança das pessoas.

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), que se demarca dos incidentes, denunciou conflitos entre clientes, nomeadamente na loja da rua Carlos Mardel, em Lisboa, numa loja em Almada e na Quinta do Mocho, em Loures, que levaram, nalguns casos, à intervenção da polícia e ao encerramento de algumas lojas.

A Polícia de Segurança Pública confirmou à Lusa o registo de alguns incidentes entre clientes em pontos de venda em Lisboa.

De acordo com o Pingo Doce, devido à adesão de clientes, a PSP tem tido “uma intervenção mais preventiva, para escoar trânsito e para o estacionamento”.

“Não houve detenções. São pequenas tensões em grandes aglomerados que acontecem quando se juntam muitas pessoas”, disse.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos