3.4 C
Bruxelas
5 Dezembro 2022

Passos: Estamos mais perto de ultrapassar a crise

Clique para ampliar O primeiro-ministro disse esta segunda-feira, na sua página oficial no Facebook, que o primeiro ano de governação “foi duro”, mas que Portugal está “bem mais próximo de ultrapassar esta crise”, embora reconheça que o desemprego é “uma chaga social”.

“Foi um ano duro para os portugueses. A missão que aceitámos era muito complicada, com um país mergulhado em dívidas e erros graves que não podíamos mais ignorar e todos os portugueses entendiam o que estava em jogo – a autonomia do país, a base de sustentação do nosso modo de vida e o futuro dos nossos filhos”, começa por afirmar Pedro Passos Coelho.

Para o governante, “os compromissos [assumidos com os credores internacionais] são importantes”, uma vez que, “ao cumpri-los”, Portugal está a “restaurar a credibilidade do país junto dos parceiros e investidores”, o que é “essencial para o crescimento”.

Pedro Passos Coelho refere os “vários sinais extremamente positivos” do desempenho do país, como o ajustamento do défice externo, o bom comportamento das exportações e as avaliações positivas feitas pela roika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu).

No entanto, o primeiro-ministro enumerou também “os resultados menos bons”, como o aumento do desemprego, que “apesar de ser uma consequência esperada da crise económica (…) não deixa de ser uma chaga social que exige resposta imediata”.

“A todos os que estão hoje desempregados quero deixar uma palavra de encorajamento e a minha garantia pessoal que tudo continuaremos a fazer para que estes momentos difíceis sejam ultrapassados tão rapidamente quanto possível”, promete Passos Coelho.

Para o primeiro-ministro, Portugal está hoje “bem mais próximo de ultrapassar esta crise e bem mais próximo de ter um país com oportunidades para todos”, embora “um ano depois de [o Governo] tomar posse, há ainda muito a fazer”.

Sublinhando que “os portugueses têm dado mostras da sua forte vontade e tremenda lucidez para, apesar dos sacrifícios, trabalharem em defesa de Portugal e do seu futuro”, Pedro Passos Coelho deixa uma promessa: “um Portugal mais competitivo, mais próspero e mais justo”.

FONTE: Bomdia.lu

[ As medidas do governo português para o futuro ]

Artigos relacionados

Últimos artigos