2.4 C
Bruxelas
2 Dezembro 2022

O que têm em comum Julio Iglesias e José Cid?

“Fui convidado pessoalmente pelo Júlio Iglesias e aceitei. Nós já nos conhecemos, pois tivemos os mesmos produtores quando gravei em Espanha para a Columbia, na década de 1970, quando fiz a canção ‘Verdes anos’”, recordou Cid.

“Na altura até houve um convite para compor para ele [Júlio Iglesias]”, afirmou.

O cantor e compositor português será apresentado pela atriz Sílvia Rizzo e irá interpretar “seis ou sete baladas” acompanhando-se ao piano, disse.

Júlio Iglesias, 67 anos, regressa a Portugal com um novo espetáculo, integrado na digressão mundial “A starry night world tour”, que é apontada pela crítica como a derradeira do cantor romântico espanhol.

O intérprete de “Don Quijote” é o artista latino que mais discos vendeu – cerca de 300 milhões em todo o mundo, segundo contas da sua página oficial na internet – e já realizou mais de sete mil concertos.

Também Cid irá lançar um novo álbum intitulado “Quem tem medo de baladas”, que inclui temas inéditos e algumas versões, revelou o intérprete à Lusa.

O músico português afirmou que até setembro tem agendados 20 concertos e conta atuar novamente “em outubro ou novembro”, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Julio Iglesias, depois de ter sido guarda-redes do Real Madrid, nos anos 1960, decidiu enveredar pela música ligeira, estreando-se com uma participação vitoriosa no Festival Internacional da Canção de Benidorm, em 1968, com o tema “La vida sigue igual”.

O cantor representou a Espanha em vários eventos internacionais, nomeadamente no Festival da Eurovisão de 1970 com o tema “Gwendolyne”, arrecadando um 4.º lugar.

Com uma carreira de mais de 40 anos, Iglésias já cantou em português, inglês e francês, além da sua língua materna, o espanhol.

Já fez duetos com vários nomes, como Diana Ross, Willie Nelson, Stevie Wonder ou Amália Rodrigues, e é embaixador itinerante da UNICEF desde 1989.

Bomdia.lu

 

Artigos relacionados

Últimos artigos