1.8 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Legislativas: Associação saúda “maior votação de sempre” e defende mais deputados pela emigração

A Associação Também Somos Portugueses (TSP) saudou hoje a “maior votação de sempre” dos portugueses no estrangeiro graças a um aumento de 63% dos votos dos emigrantes nas eleições legislativas de 30 de janeiro. 

De acordo com os dados do Ministério da Administração Interna, o número de votos subiu de 158.252 nas legislativas de 2019 para 257.791 em 2022. 

Este desempenho, vinca a TSP, deve levar a uma revisão da representação dos residentes no estrangeiro, que elegem quatro deputados, dois no círculo da Europa e outros dois Fora da Europa. 

“Votaram mais portugueses do que, por exemplo, em Leiria, que elege 10 deputados”, refere, num comunicado. 

Uma petição iniciada pela TSP resultou no recenseamento automático dos emigrantes, o que aumentou o universo de eleitores de 28.354 em 2015 para 1.521.947 inscritos em 2022. 

Estas eleições representaram mais um passo na “longa caminhada no sentido de uma maior participação da emigração nas eleições portuguesas”, segundo a associação, que aplaude a “mobilização das comunidades portuguesas e os melhoramentos efetuados no voto postal pela Administração Eleitoral, muitos deles sugeridos pela TSP”.

Porém, a taxa de abstenção no estrangeiro ficou-se nos 83% nas legislativas de 30 de janeiro, quase o dobro da taxa no território nacional e regiões autónomas, de 42%. 

A TSP atribui isto a vários fatores, nomeadamente a problemas identificados por um inquérito a eleitores feito pela Internet, no qual 44% dos 761 inquiridos em 56 países declarou não ter conseguido votar.

Destes, 69% não receberam o boletim de voto, seja porque ainda estão recenseados em Portugal, porque mudaram de morada ou porque não quiseram, mas outras razões foram levantadas, como confusões sobre o processo e insuficiência de informação. 

“A taxa de abstenção desceu muito. Na Europa, a participação passou de cerca de 10% para cerca de 20%. Se as moradas estivessem certas, teríamos talvez 40% de participação”, afirmou à agência Lusa o dirigente da associação, Paulo Costa.

No inquérito, 80% dos inquiridos manifestaram preferência pelo voto digital no futuro, uma proposta defendida pela TSP para aumentar a participação eleitoral e que o Governo está a estudar. 

Os votos dos emigrantes nas legislativas deram mais dois deputados ao PS e dois deputados ao PSD, segundo os resultados publicados pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

De acordo com a SGMAI, após 34 consulados apurados e a contagem terminada, o PS teve 37,72% e PSD 28,40% dos votos, enquanto o Chega terminou como terceira força política com 9,86%.

O resultado definitivo está ainda sujeito a eventuais recursos.

O PS disse tencionar recorrer junto do Tribunal Constitucional da decisão da mesa da assembleia de apuramento geral de anular os votos recolhidos em mesas que juntaram votos válidos com votos considerados nulos por não virem acompanhados de cópia do cartão de cidadão do eleitor.

Artigos relacionados

Últimos artigos