15 C
Bruxelas
10 Agosto 2022

Já se pode viver em Chernobil

Clique para ampliar A cidade ucraniana de Chernobil, onde em 1986 se verificou a maior catástrofe nuclear da história, já está apta para a vida humana, assegurou um membro da Comissão Nacional para Defesa da Radiação.

“Segundo os indicadores radiológicos, praticamente não há impedimento para a vida humana na cidade de Chernóbil”, disse Oleg Bondarenko, em conferência de imprensa, segundo as agências locais.

Bondarenko reconheceu, no entanto, que “a legislação proíbe residir na zona de exclusão”, criada após o acidente, limitada por um perímetro de 30 quilómetros em redor da cidade.

“Creio que é hora de pensar que parte da zona pode ser aberta para uso sem restrições. Trata-se mais da zona sul”, disse, citado pelas agências locais.

Para começar, o especialista considera que se deveria autorizar a residência ao pessoal responsável pela supervisão da segurança do sarcófago que cobre o quarto reator da central nuclear, onde se verificou o acidente.

“Para ser sincero, já há muita gente que vive e trabalha ali, mas às escondidas. Existe uma situação de facto e outra legal que estão desligadas, e há que uni-las para devolver a situação à normalidade”, assinalou.

Bondarenko também acredita que, no futuro, podiam permitir-se na zona atividades económicas como a exploração de gado e o cultivo de linho.

Recentemente, 35 antigos residentes na zona dirigiram uma carta ao primeiro-ministro ucraniano, Nikolái Azárov, para que o Governo lhes permita regressar aos seus antigos lugares.

Os signatários da carta alegam que os níveis de radiação na zona são menores que na capital, Kiev, e mostraram-se dispostos a reconstruir a cidade e as suas empresas.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos