4.7 C
Bruxelas
29 Novembro 2022

História de Lisboa

Origens

Na tradição popular Lisboa foi fundada por Ulisses, o que não deve ser levado a sério.

Na verdade, muito antes de Homero ter cantado os feitos deste mítico herói, há muito que aqui viviam pessoas. Foram encontrados vestígios de ocupação humana em Lisboa que datam do Acheulense (500 mil a 100 mil antes da nossa era). A partir deste período multiplicam-se os achados arqueológicos que atestam a fixação de muitos povos ao longos dos tempos (fenícios, gregos, cartagineses, etc).

Num monte estratégico debruçado sobre o Tejo, foi erigido um castro. Foi aqui que a cidade se começou a formar muito antes dos romanos se fixarem no local.

Lisboa Romana

Os romanos chegaram a Lisboa (Olisipo) em 205 a.C., ocuparam o castro e aí erigiram uma acrópole. Da estratégica Felicitas Ivlia Olisipo, descrita por Plínio, temos inumeros achados arquelógicos um pouco por toda a cidade (casas, teatros, forum, circo, vias, pontes, cemitério,etc). Sugestão para visita : Teatro Romano, na encosta do Castelo.

Lisboa Visigótica e Islâmica

A cidade foi saqueada pelos Godos de Walia (419), sendo tomada pelos suevos e depois pelos visigodos (453) que acabaram por ser dominados pelos muçulmanos em 714., Com os novos ocupantes a cidade expandiu-se. A Sé visigótica foi transformada numa enorme mesquita (784). Sugestão para visita : Bairro de Alfama.

Lisboa Cristã

Muitas foram as tentativas dos cristãos para conquistar Lisboa aos muçulmanos, o que só virá a acontecer em 1147. D. Afonso Henriques deu-lhe o primeiro foral em 1179. Devido à sua posição estratégica e desenvolvimento, Lisboa acabou por adquirir o estatuto de capital do reino (1255). Entre os séculos XIII e XIV afirma-se como o principal entreposto comercial entre o Mediterrâneo e o Norte da Europa. Num dos seus bairros surge no século XIII a primeira universidade portuguesa. Sugestão para visita : Sé de Lisboa.

Lisboa das Descobertas

O século XV irá marcar a cidade e o país. Com a conquista de Ceuta, no norte de África teve inicio as descobertas geográficas que irão levar os portugueses a todos os cantos do mundo. Lisboa é uma cidade aberta ao mundo conhecido e ao desconhecido. Sugestão para visita : Torre de Belém.

Lisboa de Luto

Entre os séculos XVII e XIX, Lisboa vive momentos de glória, mas também de destruição. Primeiro foi a morte de D. Sebastião nas areias de Marrocos (1578), que trouxe a funesta vinda dos espanhóis, os quais só a custo acabarão por ser expulsos (1640).

Depois, foi na manhã de 1 de Novembro de 1755 quando um violento sismo arrasou Lisboa destruíndo cerca de 10.000 edifícios e matando cerca de 15.000 pessoas.

No inicio do século XIX, uma nova tragédia se abateu : com a preciosa ajuda do governo espanhol as tropas francesas invadem Portugal. Em sucessivas invasões destroem, saqueiam bens e matam centenas de milhares de pessoas. O país entre 1807 e 1813 transforma-se num imenso campo de batalha. Combate-se pela liberdade contra a tirania da França imperial e o expansionismo espanhol ! Sugestão para visita : Ruínas do Convento do Carmo

Lisboa Renascida

Os séculos XVII e XVIII foram marcados por um contínuo esforço de reconstrução de Lisboa, que percorria também o país e as colónias. A mais importante campanha de obras da cidade, ocorre logo após o terramoto de 1755 quando foi projectada a primeira cidade iluminista do mundo. Sugestão para visita : Baixa Pombalina

Lisboa Liberal

A revolução liberal de 1822, marca o inicio de uma profunda revolução no quotidiano lisboeta. Nada será como dantes. O surto industrial que se faz sentir a partir de meados do sec. XIX consolida a nova fisionamia urbana. A proclamação da República em 1910, culminou este processo de ruptura com o mundo pré-industrial e de afirmação das ideias democráticas. Sugestão para visita : os Paços do Concelho de Lisboa.

Triste Lisboa

O totalitarismo que varre todo o mundo, durante a primeira metade do século XX, chega também a Portugal.

Em 1926 um golpe militar implanta uma longa ditadura que durará até à madrugada do dia 25 de Abril de 1974. Milhares de cidadãos são presos ou desterrados. O regime ditatorial procura criar uma cidade à imagem de uma capital imperial. As guerras coloniais, a emigração e o desenvolvimento económico dos anos 60, acabam por destruir este projecto. O exodo das populações dos campos para a cidade põe fim igualmente aos planos de ordenamento da cidade. A sua períferia transforma-se num imenso caos urbanístico. Sugestão para visita : Parque Eduardo VII

Lisboa Cosmopolita

A Revolução dos Cravos cuja noticia correu mundo em 1974, incentiva a queda de muitos regimes ditatoriais. Lisboa libertada da ditadura e das colónias redescobre rapidamente a sua vocação cosmopolita. Sugestão para visita : Parque das Nações.

© lisboa.do.sapo.pt

Artigos relacionados

Últimos artigos