11.2 C
Bruxelas
8 Agosto 2022

Greve afeta transportes públicos

Clique para ampliar A greve geral convocada pela UGT e CGTP para esta quinta-feira está a afetar sobretudo o setor dos transportes públicos.

Ao início da manhã, registavam-se perturbações assinaláveis nos transportes na cidade de Lisboa, que estava sem autocarros, metropolitano ou comboios.

O grupo Transtejo fez saber que realizará duas ligações fluviais entre as duas margens do rio Tejo até às 13h00, sendo que o primeiro barco partiu às 07h30, para efetuar a travessia Cacilhas-Cais do Sodré. Também a ligação entre o Barreiro e o Terreiro do Paço foi assegurada por uma ligação realizada às 07h40.

Com as perturbações nos transportes públicos a obrigarem muitas pessoas a dirigirem-se a Lisboa em carros particulares, a Ponte 25 de Abril registava, ao início da manhã, a situação mais complicada no trânsito nos acessos à capital.

AGÊNCIA LUSA INTERROMPE SERVIÇO
A agência de notícias Lusa emitiu uma nota na qual informa os clientes que os seus serviços foram interrompidos devido à greve geral desta quinta-feira.

“O serviço da agência Lusa foi interrompido às 08h45 de hoje devido à greve geral. O serviço poderá ser restabelecido caso existam condições para tal”, refere a nota emitida pela agência.
CGTP FALA EM FORTE ADESÃO NO SETOR PRIVADO
A Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) avança no seu site que, além do setor público, também no setor privado as empresas, em regime de laboração contínua, registam esta quinta-feira uma forte adesão à greve.

De acordo com a central sindical, três secções da EPAL têm uma adesão de 100% à paralisão: Vila Franca de Xira, Amadora e Asseiceira. Uma situação que se repete também na empresa SGSP – Saint Gobain Sekurit Portugal (Vidro Automóvel), na Lisnave, STEF (setor de alimentação), Renoldy e Auto-Estradas Litoral Norte.

TELEVISÃO PÚBLICA A MEIO GÁS
Arménio Carlos, líder da CGTP, afirmou à Rádio Renascença que “cerca de 50%” dos funcionários da RTP aderiram à paralisação.

Além da estação pública, o líder sindical refere que, os últimos dados, revelam uma forte adesão também nos restantes setores.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/greve-afeta-transportes-publicos

Artigos relacionados

Últimos artigos