3.4 C
Bruxelas
5 Dezembro 2022

Futuro de Portugal passa por “capacidade inovadora” de luso-descedentes

Clique para ampliar O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, elogiou hoje “a capacidade inovadora e a iniciativa” dos jovens luso-descendentes, considerando que delas “surgirão muitas das soluções para o futuro de Portugal”.

Na tradicional mensagem dirigida aos emigrantes por ocasião do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, José Cesário sublinhou a importância da participação cívica dos portugueses e luso-descendentes nos países de acolhimento em Portugal e destacou o papel das mulheres e dos jovens na criação de comunidades “ativas, vigorosas e sãs”.

“(…) É necessário que os jovens portugueses e luso-descendentes se sintam parte integrante das mesmas [comunidades] e desempenhem nelas um papel de relevo, cultivando e enriquecendo as suas origens, tradição e ligação a Portugal. É da capacidade inovadora e de iniciativa destes jovens que surgirão muitas das soluções para o futuro de Portugal”, refere o texto.

José Cesário recupera, na mensagem, o objetivo “estratégico” de revalorizar as comunidades portuguesas, traçado no programa de Governo, apontando como “pilares fundamentais” para atingir essa meta a qualidade do ensino da língua, a proximidade dos consulados das populações e o fomento da participação cívica, social e política dos emigrantes.

O titular da pasta das comunidades passa em revista as medidas tomadas no último ano, sublinhando “o investimento na qualidade do ensino” com a implementação de “um rigoroso” programa de avaliação do sistema e da certificação dos cursos de Português e de “padronização” do sistema.

“Estas medidas permitirão estabelecer graus de aprendizagem que virão a ser reconhecidos, tal como acontece há muito com o sistema de ensino de outras línguas (…), com sucessos internacionalmente reconhecidos”, refere Cesário.

Em matéria de consulados, lembra o recurso às novas tecnologias e o uso de equipamentos portáteis, “quer onde não é viável manter estruturas consulares permanentes, quer onde elas não existiam no passado” para levar os serviços consulares aos emigrantes.

“É evidente que várias destas medidas implicam ajustes importantes e períodos de adaptação. Nenhuma solução é à partida perfeita e todas precisam de acertos e correções que só a prática tornará patentes. Estamos porém convencidos de que, com o apoio de todos e um esforço comum, no qual quer os funcionários diplomáticos e consulares, quer as próprias comunidades têm um papel a desempenhar, o resultado final será de uma maior qualidade dos serviços, que contribuirá para dignificação e valorização da presença portuguesa no estrangeiro”, adianta.

José Cesário expressa ainda “uma mensagem de confiança” no “esforço, sério e sustentado que o país está a realizar”.

“É importante que as nossas comunidades estejam conscientes de que tudo está feito para restaurar a credibilidade internacional do nosso país. Vários parceiros e organizações internacionais o reconhecem sem reticências. Esse reconhecimento, estou seguro, é apenas o primeiro passo para, hoje como no passado, superarmos as dificuldades que se nos apresentam. O esforço que se pede a todos será frutuoso”, garante o secretário de Estado.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos