17.9 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

Fundação de Portugal

Foi entregue a um nobre francês, de nome Conde D. Henrique de Borgonha, como recompensa de ter ajudado o rei de Leão na “Reconquista Cristã”, ou seja, a reconquistar território aos mouros.

O seu senhor (o conde) tinha alguma autonomia e liberdade de movimentos apesar de continuar a prestar vassalagem ao seu rei.

O problema é que muitos dos senhores dos condados queriam ter mais autonomia e, talvez, até tornarem-se reis. Assim, o Conde D. Henrique tentou tudo para conseguir maior autonomia para o seu território, apoiado por outros nobres.

Fundação de PortugalMas, em 1112, D. Henrique morreu : será que o seu esforço de tornar o reino independente morria consigo ?

Felizmente, o seu filho Afonso Henriques (o futuro primeiro rei de Portugal) não queria deixar este sonho morrer e decidiu prosseguir com a política do pai.

Apesar de D. Afonso ser muito corajoso, a tarefa de tornar o condado independente foi muito complicada. Senão repara :

Era necessário combater o rei de Leão, a norte, para ficar com o território independente.

Era necessário alargar o condado para sul contra os muçulmanos – prosseguir a Reconquista.

E era preciso arranjar maneira que o futuro reino de Portugal fosse reconhecido pelos outros reinos, principalmente pelo Papa. É que, no século XI, o Papa era mais importante que os reis e todos respeitavam as suas decisões e opiniões.

E foi esta a política de D. Afonso Henriques para fundar o reino de Portugal !D. Afonso Henriques tinha, então, entre outras, três tarefas principais a cumprir para atingir os seus objectivos. E ele procedeu deste modo :

Fundação de Portugal1. Para combater o rei de Leão reuniu em torno de si os nobres portucalenses, também eles desejosos de independência. D. Afonso travou várias batalhas contra os exércitos leoneses. Isso fez com que, finalmente, em 1143, no tratado de Zamora, o rei de Leão reconhecesse Afonso Henriques como rei de Portugal. Foi uma importante vitória.

2. Na luta contra os muçulmanos, a sul, as coisas também não foram fáceis. O avanço era muito lento e difícil porque o inimigo era muito forte. Mas, em 1139, conseguiu uma vitória muito importante na batalha de Ourique, onde todas as possibilidades de ganhar estavam do lado dos mouros. A partir daí D. Afonso Henriques passou a intitular-se “rei de Portugal”. Entretanto, as suas conquistas foram prosseguindo e o território foi-se formando e crescendo.

3. E como se conseguiu o reconhecimento do Papa ? Bom, isso foi só em 1179, através de uma bula chamada : Manifestis Probatum.

Era, enfim, o reconhecimento imprescindível para que Portugal passasse a ser uma nação independente.

Quando D. Afonso Henriques morreu tinha sido concretizado um sonho. O reino estava formado (faltava apenas o Algarve), apesar de alguns contra-ataques muçulmanos ; o rei de Leão reconheceu Portugal como reino independente e o Papa também.

As conquistas do resto do País e a definição total do território português prosseguiram com os herdeiros de D. Afonso Henriques. Mas foi só com D. Afonso III se conquistou o Algarve, em 1249.

A meio do século XIII, Portugal já tinha praticamente o mesmo território que actualmente. Por causa disso, Portugal é a nação com as fronteiras mais antigas da Europa.

Adaptado do site Júnior (www.junior.te.pt)

Artigos relacionados

Últimos artigos