2.6 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

FMI/Cortes: Relatório “está muito bem feito”, mas não é “a Bíblia do Governo” – Passos Coelho

Clique para ampliar O primeiro-ministro considerou hoje que o relatório do FMI sobre cortes na despesa “está muito bem feito”, subscrevendo as palavras do secretário de Estado Carlos Moedas, mas afirmou que ele não é “a Bíblia do Governo”.

Numa conferência de imprensa conjunta com o presidente do Parlamento Europeu, na residência oficial de São Bento, em Lisboa, Pedro Passos Coelho considerou que, nesta altura, é mais importante olhar para o diagnóstico e para os problemas identificados no relatório do Fundo Monetário Internacional (Fundo Monetário Internacional) do que discutir cada uma das suas propostas.

“Algumas dessas soluções terão viabilidade, outras não irão ter. Elas não são vistas nem como a Bíblia do Governo nem como o nosso ponto de chegada”, acrescentou o primeiro-ministro, apelando a um debate nacional o mais alargado possível sobre a redução da despesa pública e a reforma do Estado.

Questionado sobre como classifica o relatório do FMI, Passos Coelho respondeu: “O relatório é um relatório importante, naturalmente. E o meu secretário de Estado adjunto, o engenheiro Carlos Moedas, disse, e muito bem, que é um relatório que está muito bem feito, que contém informação muito relevante”.

O primeiro-ministro assinalou que “o Governo português disponibilizou toda a colaboração necessária, como lhe competia”, para esse relatório, porque ele foi elaborado a seu pedido.

LUSA

[ Martin Schulz defende que países ricos têm de pagar mais ]

[ Empréstimo português aumenta entre 3 a 4 mil milhões de euros ]

[ Barroso aconselha sensatez a Passos ]

Artigos relacionados

Últimos artigos