17.9 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

Fim do voto por correspondência

Durante o debate, o deputado do PSD pelo circulo fora da Europa, José Cesário acusou os socialistas de terem medo do voto dos emigrantes “desde 1999 que o PS não consegue ganhar umas eleições nas comunidades portuguesas. Pelo contrário, tem sido perfeitamente esmagado nos mais diversos actos eleitorais realizados, disse. 

No PCP, o deputado António Filipe mostrou-se favorável à substituição do voto por carta pelo presencial por considerara que o actual sistema “tem deficiências”. 

O deputado socialista José Lello, defendeu que o voto por correspondência tem “muitas imperfeições” e pode ser “potencialmente permeável á fraude”. 

Do Bloco de Esquerda, Luís Fazenda diz que “muitos emigrantes vão ficar a centenas de quilómetros para votar”, afirmando que o BE  se abstém com a garantia de que haja mesas próximas de cada comunidade emigrante. 

Nuno Magalhães do CDS-PP defendeu que se deveria desenvolver o voto electrónico.

©  www.correiodamanha.pt

Artigo anteriorPlenério do CCP reúne-se
Próximo artigoMensagem de natal

Artigos relacionados

Últimos artigos