21.4 C
Bruxelas
17 Agosto 2022

FC Porto festeja título com um empate no Dragão

Clique para ampliar Um “hat-trick” de Pizzi impediu o FC Porto de terminar a Liga de futebol 100 por cento vitorioso em casa, cedendo um empate 3-3 frente ao Paços de Ferreira, em dia de comemoração do 25.º título.


Com golos aos 47, 59 e 87, este já com os “castores” em inferioridade numérica, Pizzi surpreendeu no Dragão à 29.ª jornada da Liga, de nada valendo à dominadora equipa de André Villas-Boas os golos de Falcao (08 e 53) e de Hulk (42).

Apesar do amargo pelo empate – os portistas apresentaram bom futebol e dispuseram de situações para vencer com tranquilidade –, o FC Porto está a apenas 90 minutos de ser campeão sem derrotas, algo até hoje só conseguido pelo Benfica 1972/73 de Jimmy Hagan, embora aqui os “encarnados” tenham cedido menos um empate.

Com apenas cinco habituais titulares – Rolando, Álvaro Pereira, João Moutinho, Hulk e Falcao –, o FC Porto nem por isso poupou na qualidade do futebol, apresentando-se sempre rápido e imaginativo, perante um adversário igualmente ambicioso e que também lhe criou vários problemas.

Logo aos oito minutos, o colombiano James Rodriguez cobrou um livre sobre a esquerda e o compatriota Falcao desmarcou-se e atirou para o fundo das redes, fazendo o seu 15.º no campeonato.

Nelson Oliveira (14) ameaçou empatar de livre, mas a bola saiu rente ao poste, seguindo-se dupla intervenção de Beto (18) a negar o golo em livre de David Simão e à recarga de Pizzi, na boa reação pacense, que apresentava futebol bem ligado, rápido e objetivo.

Os “dragões” sentiram o perigo e mudaram de ritmo, criando um conjunto de situações para marcar, goradas pela falta de pontaria ou pela ação de Cássio.

O segundo golo adivinhava-se e surgiu quando James Rodriguez (42) rasgou a defesa com um passe a isolar Hulk, que, em velocidade, deixou o guarda-redes para trás e fez o seu 25.º golo na Liga.

Uma “fífia” de Rolando (47), que falhou o atraso de cabeça, permitiu a Pizzi isolar-se e reduzir para 2-1, mas Falcao (53) repôs a diferença, dando o melhor seguimento a um cruzamento de Álvaro Pereira.

Hulk (57) cabeceou ao poste direito no melhor lance da partida e, dois minutos depois, ficou a reclamar grande penalidade: indiferente a isso, na sequência do lance, Pizzi (pareceu em posição irregular), galgou até à baliza e reduziu para 3-2, no 15.º golo sofrido pelos portistas no campeonato.

Os pacenses voltavam a discutir o jogo, mas logo a seguir Nelson Oliveira (62) tem uma entrada dura e fora de tempo sobre João Moutinho (que saiu em maca) e foi expulso.

Em vantagem numérica, o FC Porto optou por gerir e não esperaria reação contrária, mas esta surgiu numa “bomba” do inevitável Pizzi (87), sem hipótese de defesa (3-3).

Walter (89), sozinho ao segundo poste, desperdiçou a emenda na última oportunidade flagrante dos portistas.

Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos