2.1 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Falha informática atrasa cirurgias

Clique para ampliar Doente que se submeteu a uma mastectomia, devido a um cancro de mama, aguarda pela reconstrução mamária há três anos.

Uma incompatibilidade informática está a atrasar a realização das cirurgias de reconstrução mamária nas mulheres que se submeteram a uma mastectomia, na sequência de cancro de mama.

O problema reside numa falha do sistema informático central, na Administração Regional de Saúde de Lisboa, que não lê os códigos emitidos pelos hospitais centrais. Este erro faz com que sejam emitidos vales- cirurgia, para unidades de saúde privadas, com informação incompleta, tornando-os inutilizáveis pelas doentes.

Nos hospitais centrais, está instalado o Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia (SIGIC), onde são inscritos códigos com os procedimentos cirúrgicos que devem ser efetuados em cada mulher. No caso relatado ao CM, foram introduzidos os códigos para remoção do expansor, colocação da prótese definitiva e a mamoplastia.

O Sistema Informático de Gestão da Lista de Inscritos para Cirurgia, tutelado pela Administração Central do Sistema de Saúde, apenas reconheceu o código respeitante à mamoplastia, emitindo assim um vale-cirurgia para a realização apenas deste procedimento num hospital particular.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/saude/falha-informatica-atrasa-cirurgias

Artigos relacionados

Últimos artigos