3.8 C
Bruxelas
8 Dezembro 2022

Evento cultural “Terra Incógnita” parte à descoberta da ilha açoriana de São Miguel

Os Açores vão ser palco, a partir de quarta-feira do Terra Incógnita, um projeto musical para “descobrir a ilha de São Miguel a andar”, contemplando caminhadas performativas, residências de criação, conversas, visitas a escolas e instalações digitais.

De acordo com a organização do evento, nos próximos dois anos vão lançar-se “novas leituras sobre o território da ilha de São Miguel”, sendo que o projeto será acompanhado por uma série documental, com realização de Diogo Lima, que “vai registar a forma como os intervenientes olham, imaginam e interagem com o património natural da ilha”.

O Terra Incógnita é financiado no âmbito do Connecting Dots do Programa Cultura EEA Grants 2014-2021, gerido pela Direção-Geral das Artes na qualidade de parceiro do programa, com organização da Associação Cultural Plutão Camaleão e apoio da Câmara Municipal da Ponta Delgada, Câmara Municipal da Ribeira Grande, NOPA – the Norwegian Society of Composers and Lyricists, Amigos dos Açores, Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas e Wayzor Rent a Car.

Segundo uma nota de imprensa, a iniciativa “Terra Incógnita” quer “usar a ilha para lembrar a importância da sua preservação”.

Propõe-se um “projeto artístico transdisciplinar que se funde com a ilha de São Miguel e as suas comunidades”, através de um desafio lançado a artistas de diversas linguagens para pensarem em termos musicais e de “performance” um território específico.

“Na base, uma proposta de trilho que será ativada com criações musicais ‘site-specific’, instalações multimédia e atos performativos. No final, um ciclo de conversas e outras ações de discussão que pretendem dar enquadramento ao intercâmbio proposto pelas residências artísticas”, refere a organização do evento.

O “Terra Incógnita” integrará ainda o lançamento de uma aplicação móvel que “vai compilar as criações e trajetos desvendados ao longo do tempo, um arquivo vivo, habitado pelas interações dos utilizadores, que aproxima o humano do natural, comprometendo-o a novos paradigmas de preservação e melhoramento do território não habitado”.

O primeiro momento do evento tem lugar entre quarta-feira e 24 de novembro, envolvendo Gianna de Toni, Golden Oriole, a Charanga do Corpo de Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, Henrique Apolinário, Inês Malheiro, João Pais Filipe, Paal Nilssen-Love e Vitória Morto, nos projetos de criação musical.

O artista visual Serafim Mendes será responsável pela criação das esculturas digitais que serão despoletadas pelas caminhadas.

Maria da Luz, docente da Universidade dos Açores, Gina Macedo, assessora de comunicação na Azores 2027), Helena Barros, da RTP Açores, e Diogo Caetano, da Associação Amigos dos Açores) vão estar nas Incógnita Talks.

O primeiro momento servirá ainda para o lançamento da primeira ‘open-call’ para apresentação de propostas de residência, uma ação desenvolvida em parceria com a NOP – a Associação Norueguesa de Liricistas e Compositores, parceira de programação da “Terra Incógnita”.

Fotografia: VisitPortugal

Artigos relacionados

Últimos artigos