2.3 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Estado perde 31 mil funcionários

Clique para ampliar Mais de 31 mil trabalhadores da Função Pública abandonaram a administração central do Estado entre Janeiro e Setembro deste ano, o que equivale a uma redução de 5,1%, segundo a Síntese Estatística do Emprego Público (SIEP) ontem revelada.

A informação foi revelada pouco antes no Parlamento pelo secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, segundo o qual a redução até ao final do terceiro trimestre “já está a ultrapassar a proposta para o ano inteiro”, disse ainda. De acordo com a SIEP, referente ao terceiro trimestre do ano, até Setembro saíram da administração central 31 439 funcionários, uma quebra de 5,1% em relação a Dezembro de 2011. Se a estes números somarmos os 19 mil que saíram do Estado em 2011, segundo Hélder Rosalino, o Estado perdeu 50 mil funcionários públicos em dois anos. O governante, que falava na Comissão de Orçamento e Finanças, recusou-se a comentar os “mais de 60 mil” trabalhadores que já saíram do Estado desde 2011, segundo o PCP, e negou que o Estado se vá endividar para pagar as indemnizações. “Serão os próprios organismos a encontrar receita”, disse, acrescentando que a redução de custos com pessoal na Administração Pública, em 2011 e 2012, atingiu já os quatro mil milhões de euros .

No debate, o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, classificou o Orçamento para 2013 como “prudente” e adiantou que o défice estrutural de 2012 deverá situar-se nos 6%, se não for contabilizada a privatização da ANA. De João Almeida, do CDS, saiu uma mensagem para Gaspar no sentido de “não se acrescentarem problemas políticos” aos económicos, frisando que é necessário “melhorar o equilíbrio entre esforço fiscal e despesa” no Orçamento para 2013.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/estado-perde-31-mil-funcionarios

[ Passos Coelho: “Não há razão para pessimismo” ]

Artigos relacionados

Últimos artigos