4.7 C
Bruxelas
30 Novembro 2022

Espanha bicampeã da Europa

Clique para ampliar A Espanha tornou-se a primeira seleção a revalidar o título europeu de futebol e igualou os três títulos da Alemanha, ao golear a Itália por ímpares 4-0, na final da 14.ª edição da prova, disputada em Kiev.

Os espanhóis ganharam o primeiro cetro em “casa”, no longínquo ano de 1964, e são agora bicampeões do “velho continente”, ao repetirem na Polónia e Ucrânia o título conquistado há quatro anos na Áustria e na Suíça.

Por seu lado, a seleção germânica, que também conta três finais perdidas, a última em 2008, foi a primeira a chegar aos dois troféus, ao sagrar-se campeã em 1972 e 1980, ainda como República Federal Alemã (RFA), e alcançou o terceiro, em 1996, ainda antes de qualquer outra “bisar”.

Os gauleses, vencedores pela primeira vez em 1984, só se aproximaram-se da “Mannschaft” em 2000, enquanto a Espanha somou em 2008, 44 anos depois, o segundo cetro, para agora arrebatar o terceiro e igualar os germânicos.

A competição conta ainda com mais seis campeões: União Soviética (1960), Itália (1968), Checoslováquia (1976), Holanda (1988), Dinamarca (1992) e Grécia (2004).

Nove seleções subiram ao lugar mais alto do pódio, em 14 fases finais, sendo que, nas últimas sete edições, seis formações chegaram ao título e apenas a Espanha “bisou”.

A RFA somou o primeiro título em 1972, quando, numa decisão a quatro (até 1976), superou a anfitriã Bélgica, nas meias-finais (2-1), e a URSS, na mais desequilibrada final (3-0), com dois “bis” de Gerd Müller e “enormes” Sepp Maier e Franz Beckanbauer.

Já numa fase final a oito (até 1992), os alemães, liderados pela classe de Bernd Schuster e Karl-Heinz Rummenigge, “bisaram” em Itália, em 1980, num percurso finalizado com um triunfo por 2-1 sobre a Bélgica (“bis” de Horst Hrubesch, aos 10 e 88 minutos).

Agora a 16, em 1996, a Alemanha arrebatou o “tri” na pátria do futebol, num trajeto que incluiu precisamente um triunfo sobre a anfitriã Inglaterra, na “lotaria”, e culminou com uma vitória final por 2-1 sobre a República Checa, selada a “ouro” pelo suplente Oliver Bierhoff.

Por seu lado, a Espanha ganhou o primeiro cetro enquanto anfitriã (Marcelino selou o 2-1 à União Soviética, na final de 1964, no Bernabéu), tendo repetido a façanha em 2008, na Áustria e Suíça, com uma vitória final sobre a Alemanha (1-0), graças a um tento de Fernando Torres.

O terceiro cetro foi selado hoje, em Kiev, onde conseguiu a maior goleada numa final, entre Europeus e Mundial, ao bater a Itália por 4-0, com tentos de David Silva, Jordi Alba, Fernando Torres e Juan Mata.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos