25.5 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

Emigrantes deveriam votar nas autárquicas?

Clique para ampliar A Comissão da Participação Cívica e Política do Conselho das Comunidades Portuguesas pretende um debate nacional sobre a participação dos emigrantes e lusodescendentes nas eleições autárquicas em Portugal, disse à agência Lusa o presidente da estrutura.

Paulo Marques disse que a ideia saiu de uma reunião realizada hoje à tarde com a Associação Nacional de Freguesias (Anafre) e será apresentada ao secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Comunidades e aos deputados eleitos pela diáspora.

“Achamos que através do voto (para as freguesias e câmaras municipais) podem reforçar-se os laços dos emigrantes e lusodescendentes com Portugal”, defendeu Paulo Marques, acrescentando que há países na Europa em que os emigrantes votam nas eleições autárquicas desde que tenham por exemplo uma casa ou outro bem e paguem impostos na terra de origem.

No entender de Paulo Marques, a ideia é que Portugal “veja as comunidades com outros olhos” e que a questão do voto dos emigrantes nas autárquicas – não está em causa a possibilidade de serem eleitos – deixe de ser um tabu.

“As comunidades são fulcrais para apoiar a nível económico e social o país”, adiantou Marques, referindo que laços mais estreitos com a diáspora podem resultar nomeadamente em turismo, apoios sociais e mesmo investimento, “que Portugal não pode desaproveitar” na difícil situação económica em que se encontra.

A Comissão da Participação Cívica e Política é uma das seis estruturas criadas no âmbito do Conselho das Comunidades Portuguesas em 2008 e que desde 2009 já realizou quatro reuniões com a Anafre sobre o voto dos emigrantes nas eleições autárquicas.

O presidente da Anafre, Armando Vieira, manifestou, em declarações à Lusa, ser sensível à argumentação da Comissão Cívica e disse que o assunto vai ser discutido na associação, devendo as conclusões do debate ser apresentadas aos partidos e à Assembleia da República.

“Entendemos que esta ligação pode potenciar desenvolvimento e investimentos”, afirmou, apresentando como exemplo o caso de 400 jovens que vieram passar férias a uma região de Portugal, numa iniciativa de um emigrante daquela zona.

A Comissão da Participação Cívica e Política do Conselho das Comunidades Portuguesas reúne-se na quinta e sexta-feira no Inatel de Oeiras, perto de Lisboa, após o que divulgará um comunicado.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos