31.6 C
Bruxelas
13 Agosto 2022

Covid-19: Itália regista 18.000 novos contágios nas últimas 24 horas

A Itália registou cerca de 18.000 novas infeções por coronavírus nas últimas 24 horas, com a pressão nas unidades de cuidados intensivos (UCI) a registar um aumento de 15% em relação a terça-feira, anunciou hoje o ministério da Saúde.

Segundo os dados oficiais, foram contabilizados 17.959 novos positivos face a terça-feira e 86 mortes. Permanecem hospitalizadas 6.099 pessoas (mais 21% em relação ao dia anterior) e 791 doentes nas UCI (mais 15%).

A taxa de positividade (percentagem de positivos entre todos os testes realizados) elevou-se até 3,2% em Itália.

A situação mais preocupante decorre na região do Veneto (norte), onde as infeções estão a aumentar diariamente, com 3.516 novos casos positivos, o pior dado desde o início da curta vaga que vive o país.

Em Itália desde segunda-feira que é exigido um certificado sanitário reforçado para desfrutar de atividades de lazer e restauração, que apenas é concedido aos imunizados ou aos recuperados, ficando os não vacinados excluídos destas atividades.

A intenção consiste em travar a propagação do vírus face à proximidade das festas natalícias, num país que já supera dos 5,1 milhões de contágios desde fevereiro de 202 e 134.000 óbitos, numa população de 60,3 milhões de habitantes.

A covid-19 provocou pelo menos 5.270.700 mortes em todo o mundo, entre mais de 266,54 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.587 pessoas e foram contabilizados 1.177.706 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Artigos relacionados

Últimos artigos