1.8 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Champions: Golos de ex-bracarense derrotaram Braga

Clique para ampliar Dois golos do ex-bracarense Rafael Bastos deram a vitória ao Cluj sobre o Sporting de Braga (2-0), tornando desde já mais difícil o apuramento dos minhotos para os oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol.

O médio brasileiro, que em 2009/10 passou discretamente por Braga, “dinamitou” por completo uma defesa de “papel” dos minhotos, e abriu uma “minicrise” no clube bracarense, que vinha de uma derrota para o campeonato com o Paços de Ferreira (também por 2-0).

O Sporting de Braga até atacou muito, mas quase sempre mal e não conseguiu levar de vencido o Cluj, a equipa mais “portuguesa” da Roménia – jogaram cinco jogadores lusos, quatro a titulares – e tido como o adversário mais fraco do grupo H.

O apuramento para os oitavos de final, objetivo assumido pelos responsáveis “arsenalistas”, terá agora que passar por vitórias fora de casa.

Se ofensivamente o sistema que José Peseiro quer implementar ainda não está bem “oleado” e não resulta tão bem como o 4x2x3x1 das últimas três temporadas, é no setor defensivo que residem as maiores preocupações do técnico.

São já nove os golos sofridos em seis jogos oficiais e hoje a defesa mostrou muitas debilidades, mostrando-se pouco agressiva, e foi presa fácil para os velozes jogadores do Cluj, cometendo erros grosseiros, como o de Nuno André Coelho que esteve na origem do segundo golo.

José Peseiro mudou de esquema tático, apostando num em que a equipa ficou praticamente sem alas, já que Rúben Micael, que substituiu Hélder Barbosa, tem tendência para jogar pelo meio e Alan, no dia em que comemorou 33 anos, já não tem o fulgor de outros tempos e viu-se muitas vezes a jogar na área junto de Éder, o que não o favorece.

O Cluj apareceu em Braga com a “lição” muito bem estudada e na primeira parte fez meia dúzia de contra-ataques muito perigosos, dois deles resultaram em golo, contando com a “ajuda” de um péssimo posicionamento dos jogadores bracarenses.

Os visitantes inauguraram o marcador na conclusão de um rápido contra-ataque (que nasceu de um canto a favor dos bracarenses), exemplarmente desenhado por Sougou, que serviu Rafael Bastos e este, completamente isolado na cara de Beto, não perdoou (19 minutos).

Três minutos depois, Mossoró por pouco não fez o empate, mas o centro remate não foi aproveitado por ninguém.

Éder deu sinais de vida por duas vezes no mesmo minuto (26), mas Mário Felgueiras mostrou segurança, como, aos 29 minutos, parando um remate de Hugo Viana e um pouco por toda a partida.

A defesa romena até nem era muito agressiva e concedia espaços, mas a equipa bracarense também e parece não ter acreditado nos avisos que José Peseiro e Custódio fizeram na véspera sobre o perigo dos contra-ataques do Cluj.

Aos 33 minutos, o Cluj desperdiçou de forma incrível uma oportunidade para fazer o segundo golo, com Kapetanos a partir do meio-campo em posição legal, mas, depois de “deitar” Nuno André Coelho e com tudo para marcar, a rematar ao lado.

Mas, no minuto seguinte, os romenos dilatariam mesmo o marcador com um grande golo de Rafael Bastos, a aproveitar um erro crasso de Nuno André Coelho (que surgiu no lugar de Douglão).

O médio deixou para trás mais dois jogadores do Braga com alguma sorte à mistura e depois rematou cruzado, sem hipóteses para Beto.

Na segunda parte, assistiu-se a uma “avalanche” ofensiva do Sporting de Braga, mas raramente com cabeça e, por isso, quase sempre sem ideias.

Logo aos 49 minutos, Hélder Barbosa, que entrou para o lugar de Alan, centrou e Rúben Micael, qual ponta-de-lança, obrigou Mário Felgueiras a uma grande defesa.

O médio madeirense voltou a estar perto do golo aos 60 minutos, mas o antigo guardião dos bracarenses voltou a ganhar o “duelo”.

Peseiro ainda apostou tudo com as entradas de Zé Luís e Paulo César, mas pertenceu ao Cluj uma excelente oportunidade para ampliar o resultado, mas Kapetanos voltou a ser displicente na conclusão de um grande centro da esquerda (76).

Até ao final, o Sporting de Braga ainda dispôs de mais duas boas oportunidades para marcar, mas Rúben Micael e Custódio não conseguiram desfeitear Mário Felgueiras.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos