21.4 C
Bruxelas
17 Agosto 2022

Carmen Souza promete “uma kachupada saborosa”

Clique para ampliar Em digressão pela Europa, Carmen Souza vai fazer-se ouvir em Borgerhout, no próximo sábado, dia 6. O público será surpreendido com uma miscelânea de jazz e ritmos cabo-verdianos.

“A tournée está a correr muito bem. Aliás, cada vez melhor. Tem havido uma grande aceitação do público e as datas continuam a aparecer… até para 2014”, revela a cantora de origens cabo-verdianas ao NCF.

O seu novo álbum “Kachupada” é uma espécie de viagem musical entre as raízes familiares, a sua estadia em Londres e as memórias de Lisboa, cidade onde cresceu e estudou. Neste disco, as músicas são temperadas com pitadas da morna, do jazz, da soul e até dos timbres brasileiros.

Recentemente, a cantora foi galardoada nos Cabo Verde Music Awards, com os prémios de Melhor Voz Feminina e Melhor Morna pela faixa do novo álbum “6 on na Tarrafal”.

Do concerto, que se irá realizar no De Roma, pelas 20h30, o público poderá contar com “uma kachupada saborosa… uma tela de cores e sabores entre o jazz e a musica tradicional cabo-verdiana”. “Vou tocar temas do novo disco, mas também trago temas que fazem parte do meu reportório anterior. Então, as pessoas podem esperar alegria, energia, calor”, antecipa Carmen Souza.

O acolhimento do seu trabalho pelo público belga tem sido positivo: “já toquei na Bélgica e lembro-me que foi um grande concerto, com sala cheia”. Talvez seja fruto de tudo o quanto Carmen coloca em palco: a sua mundividência e os “vários cheiros da Lusofonia”. “A minha música expressa aquilo que sou como pessoa, a minha vivência, o meu sentimento. Partilho isso tudo”, revela.

Com uma agenda de concertos apertada, Carmen Souza quase não tem tempo para explorar as cidades por onde passa, porque “normalmente o roteiro é avião-aeroporto-sala de espectáculos-hotel-aeroporto”. Contudo, por estas paragens, não poderia dispensar uns gofres ou um bom chocolate belga.

Depois da actuação no dia 9, na Eslovénia, a cantora vai estar em Cabo Verde no Kriol Jazz Festival, onde apresentará “Kachupada” aos seus conterrâneos. Até ao Verão, Carmen Souza vai passar ainda por França, Espanha, Inglaterra, Suíça e Estados Unidos da América.

De relance pela biografia

Filha de pais cabo-verdianos, Carmen Souza nasceu em Lisboa, na Primavera de 1981. Cresceu rodeada da tradição, da música e dos costumes da terra natal dos progenitores, por isso, não é de estranhar que ainda adolescente tenha dado os primeiros passos na área musical, ao serviço do Coral Gospel Lusófono.

Já a sua estreia profissional remonta a 1999, altura em que foi seleccionada para cantar no grupo Shout! Theo Pascal, um dos melhores baixistas de Portugal, acabaria por se tornar produtor e mentor de Carmen, direccionando-a para o jazz.

Actualmente, Carmen Souza vive em Londres e desde o seu primeiro álbum, “Ess E Nha Cabo Verde”, editado em 2005, tem surpreendido quem a escuta pela fusão de ritmos cabo-verdianos, africanos, afro-latinos e jazz. Em 2008, seguiu-se o álbum “Verdade” e, dois anos mais tarde, nasceu “Protegid”. O mais recente trabalho discográfico, intitulado “Kachupada”, já lhe valeu os prémios de melhor voz feminina e de melhor morna, nos Cabo Verde Music Awards.

Patrícia Posse

 

 

Artigos relacionados

Últimos artigos