1.8 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

Braga arruma vizinhos vilacondenses com um 4-1

Clique para ampliar Um Sporting de Braga ainda à procura da melhor forma recebeu e venceu um frágil Rio Ave por 4-1, na quarta jornada da I Liga de futebol, em que Éder bisou.

Os bracarenses vinham de duas derrotas seguidas (para a I Liga, diante do Paços de Ferreira, e para a Liga dos Campeões, na quarta-feira, com o Cluj, em casa, ambas por 2-0) e precisavam de vencer o Rio Ave para afastar alguns “fantasmas”.

O triunfo da equipa orientada por José Peseiro não merece contestação, mas o resultado final é algo “mentiroso”, porque, se é certo que O Rio Ave não existiu ofensivamente, a exibição bracarense não justificou um desnível tão grande no marcador.

O Sporting de Braga sentiu muitas dificuldades para “abrir” a defesa vila-condense, só tendo inaugurado o marcador aos 45 minutos, depois de uma primeira parte muito pouco conseguida.

José Peseiro já explicou que quer um Braga a jogar de forma diferente dos últimos anos e que foi para isso que foi contratado, mas não está a ser fácil implementar o 4x4x2 pretendido, porque, sem alas, o processo ofensivo afunila-se, assistindo-se a uma profusão de passes a meio-campo sem sequência prática.

O Braga dominava, mas quase só criava perigo em lances de bola parada e, aos 27 minutos, após um canto, Custódio, de cabeça, esteve muito perto de inaugurar o marcador, mas Oblak evitou-o com uma grande defesa.

Dois minutos depois, Rúben Micael experimentou o remate de longe, a bola ainda desviou num central vila-condense, dificultando a defesa do guarda-redes do Rio Ave.

O primeiro golo da partida surgiu mesmo em cima da saída para o intervalo, com Éder a concluir uma jogada muito confusa junto da baliza do Rio Ave.

A segunda parte começou com a equipa de Vila do Conde mais acutilante e a mostrar vontade de alterar o marcador, o que acabou por acontecer com uma “ajuda” preciosa de Beto: o internacional português deu um grande “frango” quando pretendia blocar um livre direto de Edimar, mas a bola fugiu-lhe por entre os braços e entrou na baliza (53).

José Peseiro fez entrar Mossoró para o lugar de Hugo Viana, mas foi Rúben Micael a desbloquear o jogo ofensivo bracarense, primeiro centrando para Rúben Amorim cabecear e desfazer o empate (63) e, pouco depois, centrando atrasado para Éder bisar (70).

O quarto golo chegou por via de uma grande penalidade de Nivaldo (que lhe valeu a expulsão) sobre Mossoró, que Custódio converteu (76 minutos).

Com mais um jogador, o Sporting de Braga controlou o jogo até ao final, sendo de destacar ainda as estreias no campeonato do central Rodriguez (ex-Braga e ex-Sporting), no Rio Ave, e do avançado Michel (ex-Benfica), na equipa da casa.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos