1.8 C
Bruxelas
3 Dezembro 2022

A crise e a greve chegaram ao Crazy Horse

Clique para ampliar Pela primeira vez desde 1951, ano da sua criação, o Crazy Horse vai encerrar as suas portas, e logo por dois dias. As bailarinas do famoso cabaret parisiense anunciaram uma greve, em protesto contra os salários que dizem «não corresponder à carga de trabalho». Ontem, terça-feira, e hoje, já não houve espectáculos.

O Crazy Horse é um dos cabarets mais famosos da capital gaulesa, onde as suas bailarinas, em trajes menores, combinam passos de dança com os seus dotes musicais.

Esta semana, durante dois dias, o cabaret não abriu as suas portas. A greve ficou decidida devido «aos salários que não correspondem à carga horária» pedida às bailarinas. «Pedem-nos para trabalhar 24 dias por mês com um salário mais que lamentável», queixou-se uma delas à RTL.

A direcção do Crazy Horse ainda não se pronunciou sobre o caso, enquanto as bailarinas reclamam que «rejeitou, durante meses, todas as propostas de negociação».

Assim, parisienses ou turistas tiveram que recorrer a outros cabarets de Paris para presenciar um género de espectáculo que, pelo seu prestígio e reputação, tornou-se uma das imagens da capital francesa.

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos