3.4 C
Bruxelas
5 Dezembro 2022

75 portugueses trabalham nos navios arrestados por dívidas

Clique para ampliar Setenta e cinco portugueses estão entre os tripulantes e funcionários dos três navios de cruzeiro arrestados em França e no Montenegro, informou hoje a agente dos armadores, segundo a qual os três comandantes têm nacionalidade portuguesa.

Num comunicado, a World Cruises Agency esclarece ser “uma mera agência” dos três armadores, todos eles do Panamá.

Segundo a agência, o armador do “Athena” é o First Quality Cruises Inc., o do “Princess Danae” é o Waybell Cruises Inc., e o so “Arion” é o Constellation Cruise Holdings S.A.

Segundo as listas de tripulação enviadas pelos armadores de cada um dos navios e hoje divulgadas pela World Cruises Agency, os três navios têm 592 tripulantes e funcionários, 75 dos quais são portugueses.

Dos 75 portugueses, 37 estão no “Princess Danae”, 22 no “Athena” e 16 no “Arion”.

Segundo um comunicado enviado pela mesma agência na segunda-feira, os três navios de bandeira portuguesa encontram-se detidos por arresto, os dois primeiros no porto francês de Marselha e o terceiro em Kotor, no Montenegro.

A World Cruises Agency esclarece que os armadores foram financiados durante vários anos pelo Montepio Geral “o qual, apesar das mais variadas promessas e de ter nomeado um representante do banco no conselho de administração do grupo, abruptamente decidiu não financiar os valores necessários para terminar as operações até ao final da presente temporada”.

A agência precisa que, sem este financiamento, os armadores ficaram impossibilitados de cumprir algumas das suas obrigações, “o que provocou os presentes arrestos”.

O comunicado acrescenta ainda que os armadores e o representante do Montepio no grupo estão em contacto com a administração do Montepio Geral “para financiamento do pagamento dos salários e despesas de repatriamento” dos tripulantes retidos a bordo, “que em breve não mais terão condições de permanecer a bordo”.

No domingo, o jornal francês La Provence, noticiou que um navio de cruzeiro com pavilhão português estava apresado desde o dia anterior no porto de Marselha, no sul de França, de acordo com uma ordem da justiça francesa.

Na sua página na Internet, o La Provence precisava que a justiça francesa decretou, na quinta-feira e no sábado, a apreensão de dois navios da companhia Classic International Cruises, que estavam parados no terminal de cruzeiros do porto marítimo de Marselha.

O jornal sugeria que os proprietários dos navios não terão pago faturas de combustível, e precisou que os passageiros já tinham sido retirados dos navios, enquanto as tripulações permaneciam a bordo.

A 30 de agosto, o “Princess Danae” foi apresado no porto de Dublin por ordem de um tribunal superior irlandês, devido a uma alegada dívida, por falta de pagamento de combustível, avaliada em cerca de 120.000 euros.

A dívida terá sido contraída em abril passado com a companhia italiana Omega Bunker.

Nos três navios, há cidadãos de mais de cerca de duas dezenas de nacionalidades, sendo que a maioria são ucranianos (159) e indonésios (142).

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos