16.9 C
Bruxelas
18 Agosto 2022

7.300 milhões de euros para combater o desemprego jovem

Clique para ampliar O presidente da Comissão Europeia anunciou aos líderes europeus, em Bruxelas, que já foram afetados 7.300 milhões de euros graças aos esforços das equipas de trabalho para combater o desemprego jovem, incluindo 330 milhões em Portugal.

Durão Barroso apresentou, durante a reunião informal de chefes de Estado e de Governo da União Europeia dedicada ao crescimento e emprego, os resultados provisórios (até à data de 21 de maio) da ação-piloto que lançou em janeiro passado para ajudar os oito Estados-membros com maiores taxas de desemprego juvenil, afirmando que já foi possível reafetar verbas “consideráveis”.

De acordo com um documento elaborado pelo executivo comunitário, já foram identificados cerca de 7,3 mil milhões de euros de financiamento da UE para “aceleração da execução ou reafetação” através desta iniciativa, que poderá beneficiar mais de 460.000 jovens e 56.000 pequenas e médias empresas (PME) no conjunto dos oito países.

Relativamente a Portugal, aponta o documento, encontravam-se por afetar em finais de 2011 cerca de 3.000 milhões de euros de fundos da UE, tendo sido já afetados para esta operação específica de combate ao desemprego jovem, graças aos esforços das equipas de trabalho, 330 milhões de euros, estando a decisão todavia ainda pendente.

Em causa estão as medidas contidas no plano estratégico “Impulso Jovem”, elaborado pelo Governo, e que previa investimentos na ordem dos 350 milhões de euros, através da reorientação de fundos comunitários, que deverão beneficiar cerca de 77 mil jovens, segundo estimativas do executivo.

De acordo com os resultados da Comissão até 21 de maio, as estimativas de números de jovens potenciais beneficiados estão ainda por determinar, devendo o número de PME rondar as 4.500.

O documento assinala que, “em Portugal, enquanto se aguardam várias outras decisões, o Governo está a estudar a hipótese de reafetar 140 milhões de euros para apoiar 35.500 jovens no âmbito da iniciativa «Passaporte Emprego», que visa a realização de estágios nos principais setores económicos, assim como um reforço do apoio às PME em 1,13 mil milhões de euros”, incluindo financiamento do Banco Europeu de Investimento e de bancos privados.

Dos oito estados-membros envolvidos no projeto, a Itália é aquele onde já foram reafetados mais fundos no quadro desta operação, em concreto 3.600 milhões de euros, beneficiando cerca de 128 mil jovens e 28 mil PME.

Segundo a “Comissão Barroso”, os resultados destes oito projetos-piloto mostram que, “se houver vontade política e apoio administrativo a nível nacional”, existem formas de direcionar o financiamento da UE para criar emprego para os jovens, que poderão vir a ser aplicadas a outros Estados-membros.

A Comissão indica que irá dar seguimento a esta iniciativa, continuando a trabalhar com os oito países em causa para “finalizar a reprogramação e facilitar uma rápida execução no terreno”.

Os oito países da UE com mais elevadas taxas de desemprego juvenil são Grécia, Espanha, Irlanda, Itália, Lituânia, Letónia, Portugal e Eslováquia, sendo a taxa portuguesa de 36,1 por cento, correspondente a 158 mil jovens (dados de março de 2012).

FONTE: Bomdia.lu

Artigos relacionados

Últimos artigos